São Paulo 11 3136-1241
Rio de Janeiro 21 3005-9186
Brasília 61 3327-1404

Design sustentável: o processo eco-responsável da Herman Miller

A Herman Miller é uma empresa pioneira em diversos aspectos, mas também pode-se destacar o design sustentável, uma premissa que existe, ao menos, desde 1953, quando o fundador, D.J De Pree, se comprometeu a não prejudicar o Planeta ao desenvolver os projetos da sua empresa. Quer entender melhor o processo eco-responsável da Herman Miller? Siga a leitura!

 

Design sustentável e curiosidades da Herman Miller

Os produtos Herman Miller são quase 100% recicláveis. É impossível falar em sustentabilidade no setor, sem citar a Aeron por exemplo. Mas há outras curiosidades que chamam atenção na história dessa empresa, tanto na sua cultura e métodos, quanto nas ações sustentáveis.

cadeira aeron design sustentável

Além do design vanguardista, a Aeron possui até 76% do material do corpo proveniente de reciclados

 

Você sabia, por exemplo, que De Pree convidou George Nelson para ser diretor de design após ler um artigo dele na revista Life? O relacionamento pessoal e profissional dos dois originou diversos produtos. Entre os mais marcantes, o sofá Marshmallow.

A Herman Miller também foi uma das primeiras a aderir ao sistema de produção da Toyota. Essa parceria trouxe mais eficiência e melhorias na capacidade produtiva, no nível de qualidade e segurança da empresa.

Cabe destacar que os recursos obtidos no Green House, instalações da empresa em Holland, Michigan, contribuíram para a fundação do Green Building Council dos Estados Unidos. Essa organização direciona o mercado da construção civil em prol da sustentabilidade.

 

A metodologia cradle to cradle

A Herman Miller inovou diversas vezes com peças de design sustentável, sendo pioneira em ações ambientais no setor privado. O ano de 1989 marca a fundação da equipe de ação de qualidade ambiental. E, em 1997, essa visão aproximou a Herman Miller do MBDC, empresa de William McDonough e Michael Braungart, que desenvolveu o protocolo Cradle to Cradle (C2C).

A metodologia visava implementar a eco-efetividade na cultura de negócios e a Herman Miller foi pioneira nesse sentido. Em síntese, empresas que aplicam a metodologia devem fazer avaliações químicas dos materiais utilizados, considerando o impacto sobre as pessoas e o meio ambiente, a nível molecular. 

A desmontagem simples, facilitando consertos, é outra prerrogativa do C2C. Tudo isso para aumentar a capacidade de reutilização de cada componente usado nos móveis.

 

As vantagens de ser eco-responsável

cadeira Mirra 2 design sustentável

A cadeira Mirra 2 possui design original e ergonômico, com encosto e assento adaptáveis ao corpo

O processo eco-responsável ajuda a Herman Miller a criar designs inovadores, tornando a companhia uma inspiração, tanto em projetos residenciais, quanto corporativos. A empresa acredita no design atemporal, pois qualidade e durabilidade promovem sustentabilidade em essência. Os produtos nascem dessa forma para evitar, ao máximo, o descarte no meio ambiente. 

Além disso, as empresas que a Herman Miller representa têm processos de fabricação sintonizados com as regras de menor impacto ambiental. A cadeira de escritório Mirra, que surgiu em 2001, é o primeiro produto com a metodologia Cradle to Cradle da empresa. Essa criação trouxe muitos desafios, dentre eles, convencer os fornecedores sobre a importância de fabricar um produto e seus componentes. 

A empresa também esbarrou na dificuldade para aplicar a logística reversa nos seus produtos. Neste momento, se efetivou a eliminação do PVC na composição dos braços das cadeiras. Uma mudança que trouxe um grande benefício: os novos componentes mostraram-se mais baratos. Isso fez o investimento inicial ser mais alto, mas houve economia no longo prazo e proteção ao meio ambiente.

 

A excelência operacional da Herman Miller

A cadeira multifuncional Keyn design sustentável

A cadeira multifuncional Keyn possui diversos certificados de sustentabilidade

A empresa se preocupa com o cliente para além do ambiente de trabalho. Para isso, recorre a práticas e tecnologias inovadoras, como o Sistema de Desempenho da Herman Miller. Defendendo e aplicando uma série de práticas em toda a rede de operações, passando por distribuidores e fornecedores. É assim que a empresa aumenta sua confiabilidade perante os clientes.

A Herman Miller tem este DNA desde as origens. Em 1950, a empresa instituiu um programa formal de gestão participativa. A partir de 1983, os funcionários puderam comprar ações da empresa após completar um mês de serviço. Em 1999, cerca de 16% das ações em circulação na Herman Miller correspondiam a funcionários-proprietários. 

E, para embasar as decisões de curto e longo prazo que impactam a empresa, é usado um sistema de compensação, medição e indicador de desempenho, o Valor Econômico Agregado (EVA). Trata-se de uma avaliação interna sobre o desempenho operacional e financeiro e que se relaciona com a compensação de incentivo para os funcionários-proprietários.

Por trabalhar com esses princípios e promover o design sustentável, a Herman Miller consegue manter seus altíssimos padrões de qualidade, respeitando a saúde dos seus clientes e do Planeta. Gostou da leitura? Acesse o blog da ATEC para ler mais conteúdo relevante para o seu escritório ou projeto residencial.


Soluções acústicas para tempos modernos

 

Soundwave Flo

Quando o assunto é ruído no ambiente de trabalho, a maioria dos artigos aborda a perspectiva industrial, das empresas que operam grandes maquinários.

Contudo, nos últimos anos, as configurações dos escritórios e dos espaços corporativos têm mudado bastante. Muitas organizações têm optado por espaços abertos, diminuindo as barreiras entre departamentos e fomentando a conectividade entre os funcionários.

Soundwave® Pix

Com essa alteração, inevitavelmente aqueles sons indesejados e irritantes, que atrapalham a concentração e consequentemente a produtividade, têm sido cada vez mais presentes nas empresas, o que coloca um novo problema para os gestores.

Se por um lado as novas configurações de espaços aumentam a conectividade entre os funcionários, potencializando o trabalho em equipe, o brainstorm e a criação conjunta, por outro a amplitude dos ambientes abertos faz com que o som se propague (por não encontrar barreiras que o absorvam) muito mais que o desejado.

Soundwave Wicker

Os prejuízos trazidos por esses barulhos vão muito além da perda de audição – caso mais extremo. Eles podem provocar dores de cabeça (cefaleias), sensação de ouvido cheio, fadiga, tontura, alteração da pressão arterial, stress e problemas endocrinológicos, psicológicos e neurológicos. Sim! Você pode engordar pelo ouvido: o stress gerado pelo barulho provoca um aumento de secreção de hormônios da suprarrenal, que leva a uma maior produção de gordura.

Soundwave Wall

O desconforto gerado pelos ruídos – e seus possíveis danos – tem consequência direta na performance dos colaboradores.

Funcionários estressados e desconcentrados não conseguem desempenhar todo seu potencial, por isso as empresas devem garantir a saúde auditiva da sua equipe a fim de evitar maiores danos.

Como resolver essa questão?

É preciso escolher entre um espaço aberto, que acompanha as tendências das novas formas de trabalho, ou um ambiente fechado, tendo em vista o bloqueio da propagação do som? De modo algum! A Atec foi em busca das melhores soluções acústicas do mercado, para que as organizações consigam juntar o útil ao agradável. Oferecemos os melhores produtos para que a sua empresa minimize a reflexão das ondas sonoras, a fim de garantir ambientes abertos, conectados e confortáveis para todos.

Soundwave Swell

 


Eames Lounge: leve seu prazer a sério

A Eames Lounge Chair, criada por Charles e Ray Eames permanece como ícone incontestável do design mundial. É a representação de uma beleza e conforto inigualáveis, mesmo que seis décadas já tenham passado desde a sua criação.

eames-lounge-chair-2

É uma poltrona, mas não apenas isso. É também a materialização do conhecimento e do trabalho de um casal incomum, até para os dias atuais.

Interessante observar, revisitando a história, que os Eames se uniram não só para compartilhar uma vida e constituir uma família, mas para somar o turbilhão de ideias que dominavam suas mentes.

Juntos, eles usavam a criatividade para buscar soluções simples e sofisticadas para a vida. Não é por acaso que seus projetos ultrapassam gerações e ainda surpreendem pelo design, conforto, prazer e qualidade de vida que proporcionam a quem tem o privilégio de desfrutá-los.

charles-ray-eames-1

Charles e Ray Eames eram mais que um casal, uma equipe. Um time que possuía a capacidade de encontrar a conexão humana em cada detalhe. Viam o design em sua forma holística, estavam sempre criando e modelando. Acreditavam no design como estilo de vida, não apenas profissão.

Em cada projeto criado pelo casal — projetos estes que não estão restritos ao mundo mobiliário, importante ressaltar — eles provavam que o design, como um bom anfitrião, prevê as necessidades de seus convidados e busca alternativas para que essas necessidades sejam supridas.

Para os Eames, não bastava buscar e encontrar alternativas, era preciso modificá-las constantemente. Charles e Ray acreditavam que processo de criação de um projeto nunca acabava na manufatura. Incansáveis, eles sempre tentavam fazer melhor, otimizar o que já haviam conseguido, em busca da perfeição.

Eles não eram obcecados com estilos, curvas, tramas, formas. Eles eram obcecados com satisfação das necessidades. O design era, nas mãos desse casal, uma ferramenta para gerar soluções. Era parte da vida. Parte da qualidade de vida.

eames-lounge-chair-3

Depois de tanto tempo aprendendo, conhecendo e apreciando os detalhes da Eames Lounge Chair — e de tantos outros produtos desenvolvidos pelos Eames — tomamos a liberdade de repetir uma das frases que Charles costumava dizer: “Leve seu prazer a sério”.

Charles dizia também que “Além da era da informação está a era das escolhas”. Se o design produzia e produz soluções para os nossos dias, para aumentar nossa qualidade de vida e para ajudar-nos a viver mais e melhor, a nós, só resta escolher.

 

Viste um de nossos showroons para ver de perto a Eames Longe Chair e os outros produtos criados pelos Eames. Te esperamos!


Open Box Atec – Produtos com até 70% de desconto

PROMOÇÃO ENCERRADA

Que tal começar 2017 aproveitando excelentes oportunidades? A Atec está promovendo, por tempo limitado, mais uma Open Box.  São produtos do showroom, originais, criados por designers consagrados e com preços imperdíveis! Leve para sua casa ou escritório os móveis e acessórios mais desejados do mundo, com descontos que variam de 30% a 70%. Confira a lista de produtos que participam dessa promoção:

*Imagens meramente ilustrativas

Produtos da Herman Miller:

Celle Chair, Aeron Side Chair, Eames Aluminum Group Chairs, Eames Molded Plastic Chairs,  Setu Chair e Setu Lounge Chair, Caper Chair, SAYL Chair, Aside Chair, poltrona Swoop Club Furniture, Eames Tables, mesa Nelson Swag Leg , banco Tuxedo, Abak Enviroments, Tu Filing, Luminária Flute Personal Light.

Produtos Fritz Hansen:

Luminária KAISER Idell, cadeira Series 7, poltrona VIA 57, cadeira Drop, cadeira Space, NAP chair, mesa T-NO1, mesa Analog, mesa Essay, poltrona Swan, poltrona RO, EGG chair, cadeira Rin, Minuscule Chair, mesa de apoio Minuscule, poltrona Séries 3300, sofá FAVN, sofá LISSONI, sofá ALPHABET.

Produtos USM:

USM Haller Modular Office Cabinet,

Produtos LEES:

Carpetes Lees, vários modelos.

Para saber mais sobre a promoção e os produtos, clique aqui. Aproveite, pois os descontos são oferecidos por tempo limitado. Consulte a disponibilidade dos produtos.


Yves Béhar e a mágica que transforma tecnologia em arte

i.1.yves-behar-design-opener

Yves Béhar, fundador da Fuseproject, fotografado pela equipe do vanityfair.com, em São Francisco.

Yves Béhar nasceu na Suíça e desde pequeno se acostumou a desafiar a normalidade e a previsibilidade de fatos e situações “Eu sou um pouco contraditório”, diz ele, “E é difícil ser contraditório em um país que não muda.”.

Ele trabalhou em várias empresas de design o que lhe proporcionou uma vasta experiência com clientes do ramo de tecnologia. Ao longo do tempo ele percebeu, por exemplo, que os investidores queriam saber exatamente quanto teriam de retorno financeiro em seus projetos. Essa é uma mensuração quase impossível, quando o design é feito apenas com foco na decoração. Foi aí que Yves começou a investir no aspecto paralelo, que ninguém investia.

Hoje, Béhar é reconhecido principalmente pela facilidade em transformar a tecnologia em objetos meticulosamente trabalhados e é considerado um dos designers que mais se destaca no setor tecnológico, ao longo das duas últimas décadas.

yves-behar-design-silicon-valley.sl.3.yves-behar-design-ss01

Esboços da pulseira Up, que dá dicas de como levar uma vida mais saudável

Sempre buscando uma direção diferente da habitual e privilegiando curvas e outros traçados, ele definiu um estilo de design peculiar, que remete, de maneira subliminar, à paisagem natural da Califórnia – tanto as suas colinas suaves quanto as suas costas perigosamente afiadas.

Sua reputação foi formada graças a projetos como o laptop da One Laptop per Child, o fone de ouvido sem fio da Jawbone e a pulseira Up fitness bandque é usada para medir o desempenho do corpo e dar dicas de como levar uma vida mais saudável.

01

“É da natureza humana buscar uma vida sem molduras. As pessoas querem ir além das expectativas. E elas querem o mesmo espírito sem fronteiras nos objetos que usam”, comenta Yves Béhar, designer da nova linha de cadeira SAYL da Herman Miller.

Sua constante necessidade de se reinventar o fez fundar, em 1999, a Fuseproject – empresa de design em São Francisco. Foi depois disso que ele desenvolveu o design de uma cadeira de escritório elegante e onipresente para a Herman Miller: a SAYL Chair que se destaca não só por seu projeto inovador – o encosto da cadeira, por exemplo, foi inspirado nos princípios arquitetônicos de pontes suspensas – mas por sua grande característica sustentável que faz com que a cadeira seja 93% reciclável.

A última criação de Yves recebeu o nome de “August”. Trata-se de um sistema de segurança para o lar, que vai substituir parafusos e peças ‘mortas’ da fechadura e fará com que a porta se abra através de um simples comando do celular, por meio de um aplicativo específico. Isso vai mudar a forma com as pessoas lidam com a segurança de casa desde a invenção da fechadura tradicional, na antiga Mesopotâmia.

Atualmente, em suas obras, Béhar prioriza acima de tudo a adoção acelerada de novas ideias. Para Nicholas Negroponte, fundador do Media Lab do MIT e parceiro de Béhar no projeto One Laptop per Child, “As grandes ideias estão ocultas de nossa visão periférica e só podem ser alcançada por profissionais que sabem dar grandes saltos através de pensamentos audaciosos. Yves Béhar sabe exatamente como fazer isso”, diz.

Post adaptado do artigo “Surfing the Next Wave“, do site  http://www.vanityfair.com