São Paulo 11 3056-1800
Rio de Janeiro 21 2267-9795
Brasília 61 3327-1404

Conheça o novo layout do Showroom SP para 2020

Conheça as novidades no showroom Atec. Estamos com novidades em nosso showroom, e convidamos você a vir conhecê-las. Produtos de design original com venda exclusiva no Brasil, como a poltrona Fred e a poltrona Fri, de Jaime Hayon para a Fritz Hansen, fazem parte deste novo projeto. A linha Magis Me Too também está presente, com a mesa Lino e as cadeiras Alma, para os pequenos. Além destes, você encontra as cadeiras Herman Miller, carpetes Shaw Contract e os móveis modulares USM, comercializados com exclusividade Atec no Brasil.

 

Veja todos os ambientes, faça uma visita.

 

São Paulo Telefones: 11 3056-1800 ou 11 3056-1434 Av. Brig. Faria Lima, 1800 – 10º andar – Jardim Paulistano CEP 01451-001


Fritz Hansen e a tradição do design dinamarquês

O design dinamarquês carrega as tradições nórdicas do país, e ainda hoje é facilmente reconhecido como um ícone na história do design mundial. Mesmo com as fortes influências externas no início do século XX, dentre elas a Escola Bauhaus, a Dinamarca se manteve forte em seus ideais.

O refinamento pensado para as casas dinamarquesas no período pós Segunda Guerra, sempre priorizando a qualidade e a cultura intimista, se basearam na simplicidade com o uso de madeira no mobiliário e tons mais sóbrios.

São 147 anos desde que o visionário marceneiro de Nakskov fundou em Copenhagen uma empresa de produção de móveis. Fritz e seu filho Christian determinaram que a qualidade seria a marca registrada de seus produtos, o que nunca deixou de servir como norte para ganhar o
mundo.

Revolucionários, diversos designers modernos dos anos 1930 e 1940 participaram da trajetória da marca. Arne Jacobsen, por exemplo, desenvolveu junto com a empresa, alguns que estão entre os móveis mais conhecidos do mundo, como as cadeiras Series 7, ou as poltronas Egg, Pot, Swan e Drop, que foram produzidas para as áreas de espera e lounge do SAS Royal Hotel de Copenhagen em 1958. O mobiliário permanece fazendo parte dos elegantes ambientes deste hotel, e conquistou lugares de alto nível ao redor do mundo.

A Fritz Hansen utiliza diversos materiais em seus móveis e acessórios, da lâmina de madeira ao aço. A preocupação com o meio ambiente e a funcionalidade são valores cruciais para a empresa, que prima pela redução do impacto ambiental e pela durabilidade. É importante que soluções para espaços domésticos e corporativos sejam feitas com cuidado, seriedade e criatividade. Detalhes como um só móvel ou luminária, podem deixar seu ambiente elegante, vivo e convidativo e, ainda, passar por muitas gerações. É isso que faz da Fritz Hansen, uma marca reconhecida mundialmente por seu design.


6 dicas de design para sua casa

O design tem também a sua moda, já que acompanha as maneiras de vida de sua época. Mas soluções atemporais têm o seu valor na hora de mobiliar e decorar o seu lar. Isso não quer dizer que sua casa precisa ser rígida, engessada, pelo contrário. Separamos 6 dicas que atendem a uma necessidade humana, que é fundamental nos tempos atuais e não parece ter previsão de mudar: a praticidade.

  • 1: É possível aproveitar e adaptar móveis e objetos em outros espaços

Pense na possibilidade de usar móveis modulares. Esses móveis são peças compostas por módulos de tamanhos pré-determinados que podem ser encaixados, mudando de altura ou de amplitude de acordo com a sua necessidade naquele período. Estantes, armários e sofás que podem ser dispostos de acordo com a necessidade do momento são práticos na hora de limpar e podem ser a solução para problemas de espaço. A versatilidade desse mobiliário pode garantir conforto e praticidade, não importa o acontecimento que sua casa abrigue.

  • 2: Incorpore peças atemporais no dia a dia

Existem peças atemporais, tanto por terem um lugar garantido na história do design quanto por haverem se mostrado adaptáveis a muitos lugares. Um exemplo é a poltrona Egg™, fabricada pela dinamarquesa Fritz Hansen. Arne Jacobsen desenhou a poltrona para a entrada e a recepção do Royal Hotel de Copenhagen, mas ela também pode fazer parte da sua casa, abrilhantando seu espaço com elegância escultural e com conforto. Por que não?

  • 3: Faça uso de madeira natural no mobiliário

A madeira natural é um coringa, por sua neutralidade e elegância, e também pelo aconchego que proporcionam no ambiente doméstico. As cadeiras ou poltronas em madeira natural de placas finas em formas levemente curvas dos Eames, por exemplo, têm aparência leve e conversam com estilos e cores variados. Elas funcionam praticamente em qualquer lugar, de residências e escritórios, a escolas e áreas públicas.

  • 4: Adicione pontos de iluminação para dar destaque

Iluminar é preciso. E saber quais são os cantinhos que pedem luz vai fazer da sua casa mais aconchegante. A intensidade e o foco também vão depender do que você pretende valorizar e qual é o momento especial vivido em seu lar. A luminária Suspence Nomad, da Fritz Hansen, por exemplo, proporciona uma qualidade mais difusa à luz, o que evita que chegue diretamente aos olhos dos presentes, causando incômodo, além de ser facilmente movimentada.

  • 5: Use objetos para área externa e interna

Quer multiplicar as possibilidades de alguns móveis, aumentando o espaço livre? A Voido é uma cadeira de balanço desenhada por Ron Arad, para a Magis. Ela tem linhas suaves e é ergonômica, proporcionando relaxamento e bem-estar. Além disso, é produzida em polietileno, e pode ser usada tanto em áreas internas quanto externas. Aproveite a versatilidade deste tipo de peça.

  • 6: Utilize tapetes para deixar o ambiente mais aconchegante

Onde você vai pisar pode falar muito sobre os seus momentos de conexão com sua casa. Carpetes, tapetes e pisos vinílicos podem ser o toque final para a troca entre você e sua família, com o ambiente. Você pode ter como critérios a temperatura que gostaria de ter, de acordo com a atividade desenvolvida em cada cômodo, ou até com a textura que cada uma
dessas atividades pede.


Conheça o Plex – Destaque da Semana – Outubro 2019

A linha de mobiliários modulares Plex traz funcionalidade, versatilidade e estética para criar diferentes ambientes e formas de se trabalhar.

Com um assento retangular como base, os móveis compõem poltronas, pufes, sofás e bancos para criar um novo aspecto colaborativo ao ambiente de trabalho. Mesas móveis, com altura fixa ou ajustável, são usadas junto aos assentos para quem deseja trabalhar com um laptop, e se necessário, há conectividade por tomadas ou USB disponíveis nas peças. Cada elemento do conjunto pode ser usado sozinho ou combinado em uma infinidade configurações. Proporcione refúgios para momentos de silêncio e concentração ou um espaço de apresentação de reuniões da equipe. Plex é adequado para organizações que desejam oferecer às pessoas opções para o trabalho nos diversos cenários de um escritório, e é igualmente eficaz também em ambientes educacionais, como bibliotecas e salas de workshops.

A versatilidade de Plex engloba ainda, a escolha de acabamentos, materiais, pernas, rodízios e bases. As opções de estofamento quase ilimitadas permitem que a linha atenda a qualquer requisito de estilo, durabilidade ou custo.

Configure o seu próprio móvel. Nós possuímos uma equipe de designers especializada e podemos te ajudar.

Tem interesse?

SÃO PAULO: 11 3056-1800 ou 11 3056-1434
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1800 – 10° andar – Jardim Paulistano – São Paulo – SP – 01451-001 
Horário de atendimento: Segunda a Sexta das 9h às 19h – Sábado das 10h às 14h
Estacionamento cortesia para clientes no local


RIO DE JANEIRO: 21 2267-9795
Av. Brigadeiro Rua Rita Ludolf, 58 – conj. 101 – Leblon – Rio de Janeiro – RJ – 22440-060 
Horário de atendimento: Segunda a Sexta das 9h às 18h – Sábado das 10h às 14h

BRASÍLIA: 61 3327-1404
SHNQ01 Bloco A entrada A – Ed Le Quartier sala 1315 – Asa Norte – Brasília – DF – 70297-400 
Horário de atendimento: Segunda a Sexta das 9h às 18h – Sábado somente com agendamento
Estacionamento cortesia para clientes no local

Ou entre em contato:


Os 5 museus com os projetos arquitetônicos mais incríveis do mundo.

Cinco das Sete Maravilhas do Mundo são obras arquitetônicas, o que mostra que essa atividade humana, além de funcional, também se tornou parte da cultura ao longo de sua história. Mesmo os movimentos de volta à simplicidade dependem da complexidade que a atividade arquitetônica atingiu, e para falar um pouco mais desse assunto, separamos alguns museus que se destacam pela arquitetura:

Museum Oscar Niemeyer em Curitiba

Museu Oscar Niemeyer, Curitiba, Brasil (Oscar Niemeyer)

O projeto do museu combina oposições como as linhas retas e curvas, o concreto e áreas verdes, o neutro e o colorido. Niemeyer é um dos arquitetos brasileiros mais consagrados do mundo, e tem em seu portfólio grandes obras como o Museu de Arte Contemporânea de Niterói, o Conjunto Arquitetônico da Pampulha, o Edifício Copan em São Paulo e o Congresso Nacional em Brasília.

Considerado o maior museu da América Latina, o MON fica em Curitiba (PR) e tem cerca de 35 mil metros quadrados, em que abriga referenciais importantes da produção artística nacional e internacional, com aproximadamente 7 mil obras nas áreas de artes visuais, arquitetura e design. Com um total de 12 salas expositivas, a cada ano são realizadas mais
de 20 mostras, que juntas recebem um público superior a 360 mil visitantes. Nomes como Alfredo Andersen, João Turin, Theodoro De Bona, Miguel Bakun, Guido Viaro, Helena Wong, Tarsila do Amaral, Cândido Portinari, Oscar Niemeyer, Ianelli, Caribé, Tomie Ohtake, Andy Warhol, Di Cavalcanti, Francisco Brennand, entre outros, estão no acervo do MON. Desde 2002, o museu já recebeu exposições de nomes como Salvador Dalí, Frida Kahlo, Antoni Tapiès, Pablo Picasso, Tarsila do Amaral entre muitos outros nomes de peso. O desenho simples e marcante que é característico do estilo de Niemeyer é notável nesta construção.

Royal Ontario Museum em Toronto, Canada
Foto por Andy Rowat.

Museu Real de Ontário, Toronto, Canadá (Daniel Libeskind)

O Museu Real de Ontário começou a ser construído em 1912 e foi inaugurado em 1914. É o maior museu do Canadá e, entre atrações de artes plásticas e naturais, atrai mais de um milhão de visitantes por ano.

Uma extensão do museu foi inaugurada em junho de 2007, projetada pelo estúdio de Daniel Libeskind, e comporta um grande espaço para exposições, uma nova entrada, um saguão, uma loja no nível da rua e três novos restaurantes. Possui cinco volumes revestidos de metal, que lembram cristais – inspirados nas formas cristalinas das galerias de mineralogia.
Libeskind criou uma estrutura de formas prismáticas organicamente interligadas, transformando esse cruzamento importante de Toronto e todo o complexo do museu, em um farol luminoso para a cidade.

O estúdio de Libeskind também renovou dez galerias no edifício histórico existente como parte do projeto. Com a expansão, foi criada uma nova entrada de grupo no Queen’s Park, onde os visitantes entram em um átrio, no qual os dois temas do museu, natureza e cultura,são apresentados de maneira distinta através de escadas entrelaçadas que levam às exposições acima.

Museu Soumaya na Cidade do México, México
Foto por James Florio Photography

Museu Soumaya, Cidade do México (Fernando Romero)

Inaugurado em 1994, o Museu Soumaya está localizado no badalado bairro de Polanco, na Cidade do México. Parte da fundação Carlos Slim, o edifício projetado por Fernando Romero tem um design vanguardista que consiste em uma estrutura brilhante, assimétrica e prateada, coberta com mais de 16 mil placas de alumínio hexagonais. De formas suaves, ela remete à obra escultórica do artista parisiense Auguste Rodin, e possui apenas uma entrada visível, erguendo-se como um monólito de formas curvas e de presença incontornável nos arredores.

Um fato curioso dessa construção é que os painéis prateados não tocam o chão, tampoucoentram em contato entre si, dando a impressão de flutuar ao redor do edifício. A cúpula semitransparente permite que todos os 17 mil metros quadrados sejam iluminados com luz natural. A construção monumental conta com uma rampa externa em espiral, a qual se aconselha descer acompanhando as exposições, que não são organizadas cronologicamente, mas por assunto.

Guggenheim Museum em Bilbao, Espanha

Museu Guggenheim de Bilbao, Espanha (Frank Gehry)

A cidade basca de Bilbao foi território de civilizações que remetem a 6000 a.C., palco de guerras de independência e de invasões napoleônicas. Porém, hoje é famosa mundialmente por ser a casa do museu Guggenheim Bilbao, que foi projetado pelo arquiteto nascido em Toronto, em 1929, e naturalizado norte-americano, Frank Gehry. Confira algumas das curiosidades sobre o museu e por que ele é tão influente.

As formas curvas e as estruturas de pedra e titânio já receberam mais de 20 milhões de visitantes. Apesar do peso a que esses materiais remetem, o museu parece flutuar sobre o Rio Nervión, com enormes armações que se movimentam como se fossem a cauda de um majestoso e gigantesco peixe.

A arquitetura sofisticada e muito grandiosa para os então menos de 400 mil habitantes da cidade não fizeram do Guggenheim Bilbao menos popular. Pelo contrário, depois de inaugurado, o museu contou com ampla cobertura midiática e suas imagens correram mundo, como um fenômeno de Instagram avant la lettre.

 Museu do Amanhã no Rio de Janeiro
Foto por Gustavo Xavier.

Museu do Amanhã, Rio de Janeiro (Santiago Calatrava)

O Museu do Amanhã, projetado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava, ocupa 15 mil metros quadrados, cercado por espelhos d’água, jardins, ciclovias e áreas de lazer, numa área total de 34,6 mil metros quadrados do Píer Mauá. De forma longilínea, inspirada nas bromélias do Jardim Botânico, foi projetada de maneira a se integrar à paisagem ao redor e, especialmente, deixar visível o Mosteiro de São Bento, um dos mais importantes conjuntos barrocos do país.

Os jardins do museu se transformam em um novo parque para a cidade, com paisagismo assinado pelo escritório Burle Marx. Foram utilizadas espécies nativas e de restinga, com o objetivo de ressaltar as características da zona costeira da cidade do Rio de Janeiro, facilitar a adaptação da vegetação e atrair mais a fauna da região. Em 5.500m² de área plantada, se distribuem 26 espécies diferentes, como ipê roxo e amarelo, quaresmeira, pau-brasil e pitangueira, além de arbustos nativos de restinga e palmeiras

Sobre a estrutura metálica da cobertura, há 48 conjuntos móveis no formato de asas metálicas, onde estão instaladas placas fotovoltaicas. Eles se movimentam ao longo do dia de acordo com a posição do sol, de maneira a otimizar o aproveitamento da luz solar. O projeto privilegia a entrada de luz natural, com esquadrias de vidro nas fachadas e esquadrias triangulares nas laterais.