Opa, chegou a hora de planejar as tão esperadas férias!
E se, na hora de voltar, você pudesse trazer na bagagem, além de lembranças das ruas, da luz, do movimento das pessoas e souvenires incríveis, ideias novas e criativas de como ocupar e vivenciar os espaços? E se pudesse aplicar soluções criativas aprendidas ao redor do mundo aos ambientes? A ATEC indica destinos que brilham quando o assunto é arquitetura e design.

KASSEL
A cidade alemã de Kassel, no estado de Hessen, é um grande exemplo de encontro com a arquitetura. Sede da documenta, principal exposição de arte do mundo, que acontece de cinco em cinco anos, a cidade abriga uma intensa vida cultural durante o ano todo. Ela foi alvo militar durante a segunda guerra, quando cerca de 90% dos prédios históricos foram destruídos e reconstruídos à moda arquitetônica dos anos 50, mas com elementos do classicismo tardio. Fica lá também o Museu dos Irmãos Grimm. Jacob e Wilhelm Grimm compilaram contos populares alemães e os publicaram na forma do que conhecemos como contos de fadas: Branca de Neve, Chapeuzinho Vermelho, Joãozinho e Maria, entre outros contos que correram o mundo.

BARCELONA
Outra cidade que tem um estreito laço com sua arquitetura no imaginário popular é Barcelona. É quase impossível desvincular a cidade catalã da figura de Antoni Gaudí, um dos arquitetos mais famosos do mundo. Gaudí se inspirava na natureza — onde dizia não haver linhas retas — para edificar suas obras de formas curvas, como a famosa catedral da Sagrada Família e o fascinante Parque Güell. Ambos estão entre as construções arquitetônicas mais imaginativas do mundo e é impossível sair de lá sem levar muitas possibilidades de formas e cores.

XANGAI
A cidade chinesa é um fenômeno quando o assunto é arquitetura contemporânea. Marcada por seus arranha-céus, que brotaram efusivamente desde a abertura da China ao capitalismo. Um fato curioso é sobre o relógio da Casa da Alfândega, localizado na mais famosa rua beira-rio da cidade, o Bund, que tocava “The East is Red” (O Oriente é Vermelho), mas que passou, após a abertura, a soar apenas um som de sino. O edifício foi construído em 1928, por Palmer & Turner e é um dos símbolos do domínio Britânico em Xangai. Outro ponto interessante da cidade chinesa é o Museu do Vidro, que conta com 5000 m² que proporcionam uma experiência interativa e participativa através da história do vidro.

ESTOCOLMO
A beleza funcional, adaptada à vida, é uma obsessão sueca quando o assunto é arquitetura. A cidade de Estocolmo, capital da Suécia, é quase um ideal utópico quando se fala em arquitetura e design. O respeito à história e às formas antigas convive com as ideias mais avançadas, de modo que o arquiteto ou designer mais vanguardista sequer cogita alterar edifícios e móveis históricos, como é o caso da Biblioteca Pública, projetada por Gunnar Asplund, pai da estética local. Aliás, os mesmos assentos e carrinhos para livros de quando foi criada, em 1928, permanecem lá.